Candidatos e eleitores já começam a se preparar para 2018

Candidatos e eleitores já começam a se preparar para 2018

Faltando quase três anos para a eleição de 2018, já passa de 10 o número de nomes colocados à disputa presidencial. A maioria já participou de eleições anteriores e vê, no quadro atual de crise política e econômica e de baixa popularidade da presidente Dilma Rousseff, o cenário ideal para se lançar. Até o momento, surgem como possíveis candidatos ao cargo de presidente os tucanos Aécio Neves, Geraldo Alckmin, Álvaro Dias e José Serra; o prefeito do Rio Eduardo Paes (PMDB); Ciro Gomes e Cristóvam Buarque (ambos do PDT); Marina Silva (Rede); Ronaldo Caiado (DEM); Jair Bolsonaro (PP); Luciana Genro (PSOL), além do ex-presidente Lula (PT).

“Por que Alckmin está contribuindo, direta ou indiretamente, para a construção de um novo partido?”

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, planeja ser candidato a presidente da República, em 2018, pelo PSDB. Porém, vem construindo uma alternativa, formatando um novo grupo político. Nos bastidores, o tucano é um dos políticos que incentivam a fusão entre PSB (Partido Socialista Brasileiro) e PPS (Partido Popular Socialista), com o objetivo de que se crie um partido com maior presença nacional. Em São Paulo, trabalhou, sem muita discrição, para atrair a senadora Marta Suplicy para o PSB, tirando-a do PT. O presidente nacional do PPS, Roberto Freire, havia ficado como suplente de deputado federal, o que reduzia seu peso político, então Alckmin convocou um deputado federal para sua equipe e devolveu o líder socialista para Brasília. Ainda na corrida para as eleições de 2018, o PT estuda a possibilidade de recuperar a popularidade de Lula. Depois de ajudar a reeleger sua sucessora, Dilma Rousseff, em uma disputa apertada contra o tucano Aécio Neves, em 2014, o ex-presidente que deixou o governo com o maior índice de aprovação já registrado no Brasil (87%, segundo o CNI/Ibope) viu seu capital político ir embora em meio a fracassos na economia, erros na condução política do governo, do PT, manifestações nas ruas, ameaça de impeachment de Dilma, investigações envolvendo integrantes do parti do.

CURIOSIDADE:

Por que Alckmin está contribuindo, direta ou indiretamente, para a construção de um novo partido?

Porque ele teme que o PSDB banque o senador Aécio Neves, dada sua votação em 2014 para presidente da República, quando na época perdeu as eleições para Dilma Rousseff .

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Fale aqui
1
Olá, tudo bem !
No que posso te ajudar ?
Powered by