Confira os 5 fundos imobiliários que mais desvalorizaram em abril

Confira os 5 fundos imobiliários que mais desvalorizaram em abril

Devido a chega da pandemia de coronavírus ao Brasil, a partir do início de março, o mercado local começou a reagir de forma mais abrupta e ações de muitas empresas começaram a despencar na Bolsa de Valores. Para os Fundos Imobiliários não foi diferente.

Muitos fundos imobiliários, dos mais diversos setores, registraram quedas repentinas. Alguns exemplos são os fundos de shopping que, em sua maioria, apresentaram queda devido ao fechamento dos empreendimentos de forma parcial ou total, com o intuito de mitigar a disseminação da Covid-19.

Confira abaixo os fundos que mais desvalorizaram no mês de abril.

LATR11B

O FII Lateres é um Fundo Imobiliário do tipo “tijolo” com foco em aquisição e permuta de terrenos para incorporação imobiliária. Apesar disso, o fundo também pode investir em papeis, como RCI, LCI, entre outros. Em abril, o FII desvalorizou 28,33%, sendo o líder entre os fundos com menor rentabilidade.

O LATR11B é administrado pela Oliveira Trust e possui valor patrimonial por cota de R$ 145,21, de acordo com informações do site “FIIS”. No acumulado dos últimos 12 meses, o LATR11B apresentou uma desvalorização de 38,58%.

CARE11

O FII Brazilian Graveyard and Death Care (CARE11) é um fundo imobiliário constituído há 9 anos, do tipo tijolo, que investe na aquisição de imóveis físicos. Assim, a renda mensal deste fundo é gerada a partir da compra e da construção de imóveis. Em abril, o CARE11 registrou uma valorização negativa de 22,43%. Além de investir em imóveis, este fundo também atua investindo nos direitos reais sobre eles, sendo feito de forma direta ou por meio da aquisição de participações em sociedades.

HUSC11

O fundo Hospital Unimed Sul Capixaba (HUSC11), que desvalorizou 15,89% em abril, atua diretamente na construção e exploração comercial de um hospital locado para a Unimed Sul Capixaba. Esta unidade fica localizada no Espirito Santo. A taxa de administração do fundo é de 0,35% sobre ao ano sobre o patrimônio líquido. Este fundo foi constituído em outubro de 2017.

O HUSC11 encerrou o pregão da última quinta-feira (30) cotado a R$ 132,05. Vale destacar que este fundo é administrado pelo Rio Bravo Investimentos DTVM Ltda.

TRNT11

O FII Torre Norte (TRNT11) desvalorizou 12,68% em abril. Este fundo é do tipo “tijolo” e tem como principal foco o investimento em escritórios. O TRNT11 detém 100% do empreendimento Torre Norte, situado no Centro Empresarial Nações Unidas, na Zona Sul da cidade de São Paulo.

O TRNT11 foi constituído em 2001 e é gerenciado pelo BTG Pactual Serviços Financeiros S.A DTVM. A taxa de administração deste fundo é de 1,50% sobre o rendimento mensal distribuído pelo fundo.

ALMI11

O FII Torre Almirante (ALMI11) apresentou uma desvalorização de 7,14% no mês de abril. O fundo do tipo tijolo, que atua com investimentos voltados a propriedades comerciais de lajes corporativas(escritórios), foi criado ao final do ano de 2004.

Este fundo também é administrado pela instituição financeira BTG Pactual Serviços Financeiros DTVM S.A e detém 40% do imóvel localizado na Avenida Almirante Barroso, número 81, no Rio de Janeiro.

Fonte: Suno

 

Receba atualizações do site em seu e-mail

 

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Fale aqui
1
Olá, tudo bem !
No que posso te ajudar ?
Powered by